Plano de Parto – Já fez o seu?

A primeira vez que ouvi falar em Plano de Parto estava na 22ª semana de gestação. Não sabia que isso ia mudar a história do nascimento do João.

Plano de Parto é uma carta de intenções, na qual a gestante declara qual é o atendimento que espera para si e para o seu bebê, durante o processo de nascimento. Ele fala quais os procedimentos médicos ela aceita se submeter, quais são suas expectativas, como quer ser tratada e patati-patatá. Tem gente mais meticulosa (quem-tem-mania-de-controle-põe-a-mão-aqui) que escreve até que música quer ouvir, o que vai vestir, ou o que quer comer.

A pergunta que mais ouço, quando pergunto para alguém se já fez o Plano de Parto (depois do óbvio “o que é isso???”) é: mas você não confia no seu médico?

 – Confio, queridas. Confio muito, mas não delego.

 Para mim, deixar o médico – ou a enfermeira, a parteira, quem quer que vá te assistir – decidir sozinho sobre o parto seria como pedir ao marido para fazer a sua mala para a viagem importante, que vai marcar sua vida, como a de lua de mel: ele pode se dedicar, fazer com o maior carinho, mas as escolhas dele não seriam as suas. E eu, minha amiga, não quero usar meia-calça no deserto.

Hoje em dia, lidamos com o parto como se ele fosse um ato técnico, do qual se precisa de diploma de medicina e três pós-graduações para entender. É muito comum ouvir: “quero muito parto normal, maaaaaas, meu médico vai decidir o que é melhor para nós”. O engraçado é que até quem está com câncer escolhe qual tratamento prefere e as grávidas, mesmo que absolutamente saudáveis, transferem para outra pessoa duas das decisões mais importantes de sua vida: como o seu corpo vai ser manipulado e como seu filho vai chegar e ser recebido no mundo.

Eu demorei metade da minha gestação para entender, amigas, mas, na maioria absoluta dos casos, nós temos opção. Podemos escolher. Você aceita ser cortada na vagina? Ter seus pelos pubianos raspados? Quer ficar deitada, ou prefere ter liberdade de movimento? Quer ouvir música ou prefere silêncio? Quer anestesia ou vai tentar outros métodos de alívio da dor? Aceita que sua bolsa seja rompida? Em que casos? Quer seu marido lá ou prefere que vá fumar um charuto??

Na minha opinião, o mais importante do Plano de Parto é que ele retrata um novo momento na obstetrícia, no qual as mulheres estão, novamente, se transformando em protagonistas. Nossas mães entravam no hospital e abandonavam-se aos médicos, que só tinham que entregar, na alta, mãe e bebê para o pai. Não importa se eles tinham sido cortados, costurados, esfregados. Agora não. Somos sabidas e estudiosas, ninguém é melhor que nós para decidir sobre a nossa vida e a dos nossos filhos. Os profissionais nos dão apoio e informação, mas a decisão é nossa. Que lindo. Como o mundo está melhor.

Amanhã posto o meu Plano de Parto, para, quem sabe, servir de modelo…

Esta entrada foi publicada em Gestação. ligação permanente.

10 respostas a Plano de Parto – Já fez o seu?

  1. Sarah diz:

    O mais delicioso é que, mesmo sem ter filhos e estar longe de planejá-los, ler sobre esses momentos, da forma que escreve, sempre me emociona.

  2. Simone diz:

    Oi Gabi,eu tbm so vim conhecer o plano de parto apos engravidar e conhecer a Rebeca doula,ai fui me familiarizando e montando ele ,e mesmo eu tendo um quadro de pre-eclampsia na onde tive que fazer induçao eu levei e tive ele respeitado pelos profissionais do Hospital Sofia Feldmam .

  3. Rebeca diz:

    Eu fiz um plano de parto do coração: fechei os olhos e imaginei como queria que fosse nosso primeiro encontro, eu e meus filhos. transcrevi pro papel e fiquei surpresa: tudo o que eu queria era INCENTIVADO pela organização mundial de saúde, OMS. a parte mais difícil foi trocar a médica fofa e o hospital chique por uma instituição que respeitasse o plano, pois isso significava sair da linha de produção do nascimento e ser tratada com total individualidade.
    Assumir as rédeas, sair do mainstream e protagonizar esta vivência é absolutamente impagável.
    Por todas as críticas que virão, pelos receios normais de quem assume responsabilidades e considerando a infinidade de alternativas recomendamos fortemente a participação em grupos de apoio presenciais e listas. Não estamos sozinhas nessa trajetória.
    Para ler as recomendações da OMS: http://www.rebeca-doula.blogspot.com.br/2012/01/recomendacoes-da-oms-organizacao.html

  4. Simone diz:

    é sim Gabi bom demais ver que existe profissionais que nós respeitam,por isso a importancia de estarmos sempre muito informadas para assumirmos as redeas da situaçao,pois o parto é nosso.E só pra constar a beca tbm me passou o meu plano de parto,me ajudou a avaliar o que eu queria o que eu nao sabia ela me explicou,entao mais uma pra lista de bebes que a beca ajuda a nascer dignamente,anjo de doula…a amo demais.Portanto o plano de parto é super importante pois os profissionais tbm veem que quando estamos la estamos la por opçao e com muita informaçao e uma coisa que eu particularmente acho tbm muito importante é uma doula pois na hora tp nao é facil brigar entao nada melhor nos cercarmos de pessoas que vao lutar conosco.bjos

  5. Bruna Santos diz:

    Eu fiz um plano de Parto mas me esqueçi de levar, ainda bem que não precisei dele
    não deu tempo, rsrs.
    Mas é essencial, fazer um, modifica-lo quantas vezes forem necessárias,
    e depois de tudo ainda vamos querer mudar muitas coisas, só vivendo pra saber!!

    O seu ficou ótimo Gabi, ficará ainda melhor para o próximo filho!

    Bjos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s